Pandemia reduz ritmo de crescimento da população no Brasil

Pelo menos sete estados do país estão atingindo número de óbitos próximos aos números de nascimentos

Por: Bianca Antunes | 05 abril - 17:59

Pela primeira vez um estado brasileiro registrou mais mortes do que nascimentos. O Rio Grande do Sul, atingido pelo colapso no sistema de saúde causado pela pandemia da covid-19, registrou em março 15.836 mortes, enquanto foram registrados 11.921 nascimentos, segundo dados de registro civil nacional do Portal da Transparência.

Apesar de ser o primeiro, o estado pode não ser o único, já que pelo menos sete estados do país estão atingindo número de óbitos próximos aos números de nascimentos.

Foto: Divulgação/Pixabay

No primeiro trimestre de 2021, a cada morte registrada, ocorreu 1,47 nascimento. No mesmo período em 2020, eram 2,10 nascimentos registrados para cada morte.

Impactos da redução de crescimento da população brasileira

Os impactos dessa redução vão aparecer não só no perfil demográfico, mas também na expectativa de vida, formação e renda da população. Isso não só para os idosos, já que a epidemia rejuvenesceu no Brasil por conta da variante P1.

De acordo com boletim da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) apontou um aumento na contaminação entre os mais jovens 565,08% entre 30 e 39 anos, 626% entre 40 e 49 anos, e 525,93% entre 50 e 59 anos.

LEIA MAIS:

Vulcão na Islândia tem novas explosões de lava

Senado deve votar prorrogação do prazo do Imposto de Renda nesta semana

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você