Ministério da Saúde atrasa entrega de vacinas pelo segundo mês seguido

Para o próximo mês, a Fiocruz já anunciou que não conseguirá entregar as doses solicitadas

Por: Larissa Placca | 28 março - 16:55

O Ministério da Saúde vai disponibilizar menos doses de vacinas contra o coronavírus do que o inicialmente previsto em seus cronogramas para o mês de março.

É o segundo mês seguido que ocorre esse atraso. Para o próximo mês, abril, a previsão é que seja atrasado novamente. Leia mais abaixo.

Dose de vacina contra a covid-19

Dose de vacina contra a covid-19; Foto: Agência Brasil/Divulgação

No cronograma apresentado das entregas das doses para este mês, contava pouco mais de 38 milhões. Porém, segundo informações, será recebida 27,6 milhões até 31 de março, esse número representa 73%  da quantidade prometida por Eduardo Pazuello, que deixou o Ministério da Saúde esta semana.

Pazuello afirma que sua exoneração foi causada por pressões políticas

Entretanto, o Brasil pode ainda receber menos, dependendo da entrega Fiocruz. Esse número pode baixar para 24,7 milhões (65% do previsto).

No mês de fevereiro, o governo também não entregou a quantidade prometida. E para o próximo mês, em abril, a Fiocruz já anunciou que não conseguirá entregar as doses solicitadas, cerca de 12 milhões de doses.

O governo federal afirmou ter repassado 30,7 milhões de doses para a campanha de vacinação nacional. O novo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que com produção nacional, o Brasil vai vacinar mais de 2 milhões por dia.

Por que há atraso na entrega das vacinas?

O principal atraso na programação é devido a entrega da Covaxin, vacina indiana comercializada no Brasil pela Precisa Medicamentos, que para o mês de março previa entrega de 8 milhões de doses.

Até o momento, a empresa não confirma se essa quantidade estará disponível este mês. “Fizemos a solicitação de licença de importação e estamos atendendo todas as demandas para buscar atender ao cronograma”, diz em nota, a Precisa Medicamentos.

Mesmo que chegue agora na última semana do mês, a Covaxin não poderá ser aplicada porque ainda não tem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A agência afirmou que faltam documentos para análise do imunizante.

O Ministério da Saúde definiu como será feita a entrega das vacinas aos Estados e ao Distrito Federal no ano de 2021. Confira o Cronograma Completo.

Ao todo já foram contratadas 424.400 milhões de doses que serão distribuídas ao longo do ano. Ainda estão em negociação 151 milhões de lotes da Pfizer, Janssen e Moderna.

Quantas pessoas foram vacinadas contra a covid no Brasil?

Segundo dados divulgados pelo consórcio de veículos de imprensa, até este sábado (27) pouco mais de 15,2 milhões de brasileiros receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, o que equivale 7,20% da população do país. Leia a matéria completa.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Projeto apoiado por Michelle Bolsonaro é sancionado sem análise do Ministério da Economia

Manifestação no Planalto culpa Bolsonaro pelas mortes da covid-19

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você