Medição de níveis de proteína SAA no sangue pode ajudar a prever forma grave do covid-19

Pesquisadores constataram níveis elevados de SAA em pessoas que evoluíram para casos graves

Por: Bianca Antunes | 20 abril - 14:11

De acordo com estudo, a medição dos níveis de uma proteína que exerce função na resposta inflamatória do organismo pode ser uma forma de identificar quais pacientes com covid-19 têm tendência a desenvolver formais mais graves da doença.

A pesquisa do Jornal Internacional de Doenças Infecciosas aponta que os níveis da proteína SAA (amilóide sérica A), que é sintetizada no fígado, pode aumentar até mil vezes nas primeiras 48 horas de uma infecção.

Foto: Divulgação/Pixabay

Utilizando dados de 19 estudos prévios envolvendo mais de 5.600 pacientes com covid-19, pesquisadores das Universidade de Sassari e Universidade Flinders constataram níveis elevados de SAA em pessoas que evoluíram para casos graves.

“Pacientes com formas graves da covid-19 têm inflamação excessiva, alterações na formação de coágulos e danos significativos em vários órgãos, particularmente o pulmão, o rim, o coração e o fígado”, explica o principal autor do estudo

Dessa forma, os pesquisadores afirmam que nesse momento de falta de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) “o uso de marcadores específicos para predizer a gravidade da doença facilitaria a identificação precoce de pacientes que necessitam de manejo e monitoramento agressivo e auxiliar no uso criterioso dos recursos de saúde”.

LEIA TAMBÉM:

Ministério da Saúde libera recursos para 411 leitos de UTI em 13 estados

União Europa confirma relação da vacina Johnson & Johnson com casos de coágulos, mas reafirma benefícios

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você