Higiene bucal pode ajudar a previnir Alzheimer, indica estudo

Foram comparados o nível de bactérias ligadas à doença na gengiva com a quantidade das proteínas beta-amiloides

Por: Bianca Antunes | 13 abril - 15:49

Escovar os dentes pode ser um ato de higiene relacionado à prevenção do Alzheimer, revelou um estudo publicado pela Alzheimer’s Association nesta segunda-feira (12).

A pesquisa identificou que pessoas com gengivite possuem níveis mais elevados de beta-amiloide, uma proteína encontrada no cérebro de pessoas que sofrem de Alzheimer.

Foto: Divulgação/Pixabay

Essas proteínas, com o passar do tempo, vão se agrupando no cérebro e formam placas que podem inibir algumas funções cerebrais, causando o Alzheimer.

“Até onde sabemos, este é o primeiro estudo que mostra uma associação entre as bactérias encontradas em grande quantidade na gengiva e as proteínas beta-amiloides, biomarcadoras da doença de Alzheimer em idosos”, revelou a Dra. Angela Kamer, uma das autoras do estudo.

Os especialistas entendem que a prevenção da gengivite, ao ter uma boa higiene bucal, é também uma forma de prevenção do desenvolvimento do Alzheimer ao longo do tempo.

A pesquisa contou com 48 voluntários com mais de 65 anos. Durante os testes foram comparados o nível de bactérias ligadas à doença na gengiva com a quantidade das proteínas beta-amiloides no organismo.

LEIA MAIS:

Vacina da Fiocruz Minas e UFMG avança em testes de laboratório

Leite materno produzido por mães vacinadas tem anticorpos contra a Covid-19, diz estudo

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: