Gerentes da Anvisa negam importação da vacina Sputnik V ao Brasil; decisão final vai para diretores

Eles apontaram falta de documentos e possíveis riscos à saúde ao tomar a vacina

Por: Aline Bueno Silvestre | 26 abril - 20:36

Nesta segunda-feira (26), os gerentes da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) reprovaram a importação da vacina russa Sputnik V ao Brasil. 

Alguns dos motivos relatados foram falta de documentos e possíveis riscos à saúde da população. 

Gerentes da Anvisa negam importação da Sputnik V

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Apesar da decisão, a palavra final deve vir de cinco diretores que ainda vão votar ainda nesta segunda.

A Anvisa teve 30 dias para decidir sobre o uso da vacina. A agência tentou recorrer ao prazo, mas o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu o pedido. Saiba tudo sobre a Sputnik V.

Rússia anuncia que Sputnik V tem eficácia de 97,6% contra o coronavírus

Os problemas encontrados na aprovação da Sputnik V

Segundo o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, a Sputnik V pode ser prejudicial pois a vacina utiliza um vírus que se replica.

“Isso significa que o vírus que deve ser utilizado apenas para carregar material genético do coronavírus para as células humanas e, assim, promover a resposta imune, ele mesmo se replica, e isso é uma não conformidade grave”, disse.

Gustavo também falou sobre as estratégias da vacina. “O que nós percebemos é uma falha na estratégia do controle de qualidade. A empresa não demonstrou que controla de forma eficiente os processos para controlar outros vírus contaminantes também”.

Até o momento, a Anvisa registrou que faltavam 15,48% dos documentos necessários para a aprovação da vacina. Além disso, outros 63,75% dos documentos ficaram “pendentes de complementação”.

*Com informações do Portal UOL

LEIA MAIS:

Governadores negociam com o ministério a inclusão da vacina Sputnik V na imunização

Turquia passará a produzir vacina Sputnik V, desenvolvida pela Rússia

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: