Fiocruz e embaixada do Reino Unido lançam guia de ações para minimizar impacto da pandemia em populações indígenas

O guia apresenta 13 medidas urgentes e ações específicas para conter a covid-19 e relaciona nove fatores que vulnerabilizam os povos indígenas

Por: Bianca Antunes | 19 abril - 16:09

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), em parceria com a Embaixada do Reino Unido no Brasil, lançou um guia de ações para incentivar gestores públicos a implantar políticas de enfrentamento à covid-19 e conter seus impacto sobre populações marginalizadas.

Os pesquisadores partiram do fato da pandemia ter atingido de forma mais agressiva os povos indígenas e os moradores de favelas. Para os pesquisadores do Observatório, isso tem mostrado de forma clara as grandes desigualdades que atingem a população brasileira em todos os níveis.

Foto: Divulgação/Agência Brasil

“Estamos enfrentando uma crise humanitária de grandes proporções, que atinge as populações de maneira diferente e aumenta ainda mais as desigualdades sociais. Entender esses impactos e oferecer formas de enfrentamento às populações vulnerabilizadas e aos gestores será  fundamental para buscarmos uma saída humanitária da pandemia”, comenta a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima.

O guia apresenta 13 medidas urgentes e ações específicas para conter a covid-19 e relaciona nove fatores que vulnerabilizam os povos indígenas, como: a elevada prevalência de outras doenças, as limitações para implementar medidas de prevenção, as dificuldades de transporte e acesso à saúde, a insegurança alimentar, a falta de saneamento básico e a invisibilidade das populações indígenas urbanas.

“O trabalho visa atingir um público mais amplo, que inclua gestores, lideranças e intelectuais indígenas que estão no protagonismo do debate do enfrentamento da Covid-19. Tendo em vista as suas vulnerabilidades, indicamos a necessidade da priorização e construção de estratégicas específicas e diferenciadas para os povos indígenas no enfrentamento da pandemia”, sublinha Ana Lúcia, pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz).

A pesquisadora ainda afirma que o grupo considerou importante incluir conteúdos sobre a campanha de vacinação, diante das muitas dúvidas quanto à inclusão dos indígenas no grupo prioritário e também das próprias comunidades sobre a vacina.

Segundo dados do Comitê Nacional pela Vida e Memória Indígena, até a última sexta-feira (16), a covid-19 causou o óbito de 1.038 indígenas, registrou mais de 52 mil casos e afetou 163 povos.

LEIA TAMBÉM:

Kit intubação: SP volta a pedir ao Ministério da Saúde fim de requisição de medicamentos

Estados Unidos liberam vacinação contra a covid-19 para todos os maiores de 16 anos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você