Efeito da vacina Pfizer dura pelo menos seis meses e protege contra variantes

A vacina permanece mais de 91% eficaz contra doenças com quaisquer sintomas

Por: Marina Correa de Genaro | 01 abril - 13:31

Nesta quinta-feira (1°), as empresas disseram que o ensaio clínico da Fase 3, em andamento da vacina contra o coronavírus da Pfizer/BioNTech, confirma que sua proteção dura pelo menos seis meses após a segunda dose.

Embora seis meses seja um alvo modesto, é mais do que os 90 dias de proteção, que é a melhor estimativa oferecida até o momento. Essa é a primeira análise de quanto tempo dura a proteção para uma vacina contra o coronavírus.

Vacina produzida pela Pfizer

Foto: Agência Brasil

De acordo com as empresas, a vacina permanece mais de 91% eficaz contra doenças com quaisquer sintomas por seis meses e parece ser totalmente eficaz contra a preocupante variante B.1.351 do vírus, que é a cepa dominante que circula na África do Sul.

Em um comunicado feito em conjunto com a BioNTech, “a vacina foi 100% eficaz contra doenças graves, conforme definido pelos Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e 95,3% eficaz contra casos graves de Covid-19, conforme definido pela US Food and Drug Administration”.

Também foi divulgado pelas empresas, na quarta-feira (31), que um pequeno ensaio com voluntários de 12 a 15 anos mostrou 100% de eficácia nessa faixa etária.

LEIA MAIS:

Em reunião, Queiroga pede 50 milhões de doses ‘o quanto antes’ à Pfizer

Anvisa autoriza uso emergencial da vacina da Janssen contra Covid-19

Variante parecida com cepa sul-africana é identificada em Sorocaba (SP)

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você