Conselho Regional de Medicina de SP desaconselha a realização de videochamadas com pacientes em UTI

“Quando o paciente está sedado, não dá para saber se ele quer ou não quer essa comunicação, porque ele não fala”, diz conselho

Por: Bianca Antunes | 27 abril - 18:52

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) desaconselhou videochamadas entre pacientes sedados na UTI e familiares no Parecer n° 131045/2021, emitido pelo conselho em março deste ano.

O parecer não tem força de lei para proibir a realização, e se trata apenas de uma opinião emitida a partir de uma dúvida enviada por um médico.

Foto: André Araújo/Governo do Tocantins

O coordenador de comunicação do CREMESP, Edoardo Vattimo, explica que existem pessoas que podem considerar a situação degradante, e por isso, não querem que a família veja. Como não há maneiras de pedir permissão ao paciente sedado, o ideal, segundo o conselho, é não realizar a prática.

“Quando o paciente está sedado, não dá para saber se ele quer ou não quer essa comunicação, porque ele não fala”, conclui Edoardo.

De acordo com estudos realizados, a importância desse contato é grande tanto para a família, quanto para o paciente. O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo deve divulgar nos próximos dias orientações para que os pacientes, antes de serem intubados, deixem uma autorização por escrito.

*Com informações do UOL

LEIA MAIS:

Guedes diz que “Não tem gestão na saúde pública, setor privado é solução”

Entenda a importância e a escassez do “kit intubação” no Brasil

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você