Taylor Swift confirma relançamento do álbum “Fearless” com músicas inéditas

"O artista é o único que realmente conhece aquele corpo de trabalho", contou a cantora sobre a nova versão do disco

Por: David Mesquita | 11 fevereiro - 15:03

A cantora Taylor Swift anunciou, durante sua participação no programa ‘Good Morning America’ dessa quinta (11), que relançará o seu segundo álbum estúdio, o aclamado “Fearless”, de 2008.

Os hits “Love Story”, “Fifteen”, “You Belong With Me” e “Fearless” estão entre as 26 faixas do disco. Para deixar a ocasião ainda mais empolgante para os fãs, a cantora adiantou que o relançamento contará com seis músicas inéditas que a própria Taylor compôs na época.

Além disso, o hit “Love Story“ ganhou uma “nova roupagem”, e será lançado na próxima sexta (12).

Taylor também publicou uma carta em seu Instagram, junto da nova capa do projeto, todo escrito em letras minúsculas, com algumas maiúsculas destacadas. Os swifties, por sua vez, juntaram os pontos, decifrando o código, que, supostamente indica a data de lançamento do CD: Dia 9 de abril.

Outra novidade é que as canções que entraram na versão ‘Platinium Edition’, um compilado especial, também entraram na tracklist do ‘Taylor’s Version’.

“Os artistas deveriam possuir seu próprio trabalho por muitos motivos, mas o mais gritante e óbvio é que o artista é o único que realmente conhece aquele corpo de trabalho”, mencionou Taylor sobre a nova versão de “Fearless”.

A cantora disse que, por inúmeras razões, precisou tirar algumas músicas do álbum de 2008, mas decidiu incluí-las agora para que os fãs tenham “uma imagem completa” sobre ele. Vale lembrar que as músicas inéditas foram escritas entre os seus 16 e 18 anos e foram as mais difíceis de deixar de fora.

Lançado em novembro de 2008, “Fearless” foi eleito o álbum do ano do Grammy de 2010. Porém, a cantora perdeu os direitos musicais e precisou regravar o disco.

Entenda o motivo da regravação do “Fearless” 

Taylor Swift irá regravar os seus seis primeiros álbuns após perder os direitos do seu catálogo musical. Os discos da cantora pertenciam à gravadora Big Machine, fundada por Scott Borchetta.

O empresário Scooter Braun, dono da Ithaca Holdings, comprou a gravadora em 2019 e vendeu os direitos das músicas de Taylor para um grupo privado por US$300 mil em novembro de 2020. A cantora ficou revoltada por não ter tido a chance de tentar comprar o seu próprio trabalho. Leia Mais.

Em meio à polêmica, Taylor relatou que sua equipe vinha tentando recuperar a propriedade de suas gravações originais, mas, segundo a cantora, “a equipe do Scooter queria que eu assinasse um documento de segurança afirmando que eu nunca mais diria uma palavra sobre Scooter Braun a menos que fosse positivo”.

“A intenção de Scooter é 1) ganhar dinheiro com os números imensos dos trabalhos anteriores de Taylor; 2) não certificar suas músicas, assim ela não se beneficiará da divulgação e atenção que certificações de diamante trazem, desacreditando a maior força da cultura pop hoje. Você vai deixar que 12 anos de trabalho de uma mulher independente sejam desacreditados, manipulados e distorcidos para ganhos pessoais?”, comentou Taylor.

A cantora se manifestou no seu Twitter, por meio de uma carta, afirmando que está regravando as primeiras músicas de sua carreira após uma nova venda sem sua autorização e que o processo “tem se mostrado empolgante e criativamente realizador”.

MAIS DE TAYLOR SWIFT:

Taylor Swift é processada por parque temático dos EUA pelo seu álbum “evermore”. Entenda a polêmica!

“Tabu da Taylor Swift”: Entenda por que o novo álbum da cantora alegrou a torcida do Corinthians

Confira tudo que rolou no mundo dos famosos:

 

 

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você