Pussycat Dolls: saiba o real motivo da briga que envolve Nicole Scherzinger e a fundadora da girl band

Alerta de treta no mundo da música!

Por: David Mesquita | 12 setembro - 17:54

Alerta de treta no mundo da música!

A coreógrafa e fundadora do grupo Pussycat Dolls, Robin Antin, está processando a cantora Nicole Scherzinger, vocalista da girl band.

Segundo documentos judiciais divulgados pela revista The Hollywood Reporter, o processo envolve as negociações para o comeback do grupo, além de Robin Antin que está pedindo que Nicole pague uma indenização multimilionária.

Detalhes do processo

No processo, Robin acusa Nicole de quebra de contrato. Ela explica que a empresa PCD é a única dona das músicas gravadas pelas Pussycat Dolls.

Robin diz que fechou um acordo com Nicole por dois anos, no qual a artista concordou em relançar as novas Pussycat Dolls com novos membros.

As partes fecharam um acordo em 2019. Nicole aparentemente concordou em fazer 45 shows e receberia 49% dos lucros.

Em maio de 2021, segundo Robin, Nicole desistiu completamente da turnê. Ela disse que a cantora não seguiria em frente com o projeto a menos que suas novas demandas fossem atendidas, apesar de já ter concordado com o acordo dos lucros de 49%.

Porém, de acordo com informações do advogado Howard King, representante de Nicole, Robin Antin afirma que as novas demandas da cantora seria a solicitação de percentual maior do que o determinado em contrato, para manter os planos de reunião do grupo feminino, no qual a artista tem exigido uma renegociação de um contrato firmado em 2019 para a turnê de retorno das Pussycat Dolls, pedindo 75% do grupo (o acordo inicial seria de 49%) e total controle criativo.

Robin aponta ainda que recebeu US$ 600 mil (R$ 3,1 mi) em investimentos da gravadora musical LiveNation para a realização da turnê e a empresa estaria cobrando a devolução após adiamentos dos shows por culpa das novas exigências de Nicole.

O advogado da cantora classificou as alegações de Robin como “ridículas e falsas”. De acordo com a revista People, ele aponta que “são uma tentativa desesperada de desviar a culpa por seus próprios fracassos, tentando impor obrigações a Nicole de que simplesmente não existem”.

Howard afirma que Nicole não tem qualquer responsabilidade sobre o empréstimo adquirido por Robin ou pelo “profundo buraco financeiro que ela criou por seus próprios negócios ruins e decisões profissionais”.

Segundo o advogado, Nicole investiu mais de US$ 150 mil (R$ 776 mil) de seu próprio bolso para fazer a reunião das Pussycat Dolls, que ele agora classifica como “impossível devido às ações de Robin”. “Infelizmente, isso não vai acontecer nessas circunstâncias”, revelou Howard.

“Nicole ama e respeita os fãs das Pussycat Dolls e espera um dia estar de volta ao palco apresentando os incríveis sucessos do grupo para eles”, concluiu o comunicado de Howard.

Criado em 1995, as Pussycat Dolls ganhou sua formação mais popular no início dos aos 2000, composto por Nicole Scherzinger, Ashley Roberts, Jessica Sutta, Kimberly Wyatt, Carmit Bachar e Melody Thornton. O grupo se separou em 2009.

Porém, a turnê de reunião das Pussycat Dolls foi anunciada em 2020 – que inclusive iria passar pelo Brasil – mas, infelizmente, foi adiada por causa da pandemia da Covid-19. As datas reprogramadas deveriam começar com uma etapa europeia em maio de 2021, mas agora estão todas listadas como “a confirmar”.

LEIA MAIS:

VMA 2021: saiba TUDO o que vai acontecer na premiação musical da MTV

Jennifer Lopez surge deslumbrante em cliques e esbanja beleza natural

Confira tudo que rolou no mundo dos famosos:


Inscreva-se no BOMBOU!

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você