Felipe Araújo relembra morte de Cristiano Araújo: “Virei homem da noite para o dia”

Em entrevista ao Chupim, aqui na Metropolitana, o sertanejo também comentou o início da carreira

Por: Gabriela Orsini | 22 maio - 15:24

Na noite desta terça-feira (21), Felipe Araújo foi o convidado especial do Chupim, aqui na Metropolitana, e comentou sobre o inicio de sua carreira, o single “Atrasadinha” e relembrou um dos momentos mais tristes de sua vida: a morte do irmão, Cristiano Araújo.

O sertanejo começou contando mais sobre o início de sua carreira: “Eu sempre cantei em dupla, minha carreira começou no fim de 2010, mas meu pai sempre quis que eu cantasse sozinho, mas mesmo assim eu sempre fui teimoso. No final, ele estava certo, porque depois que comecei a cantar sozinho, tudo deu certo. Ele sempre quis que eu tivesse minha carreira e o Cristiano [Araújo] a dele.”

Assista: 

Sobre o sucesso “Atrasadinha”, Felipe afirmou que foi amor à primeira vista: “Quando eu recebi a música ‘Atrasadinha’, me apaixonei, mas fiquei pensando o que fazer, que é um pagode. Então logo pensei no Ferrugem e liguei pra ele. O pessoal gosta de samba e sertanejo, né!?”

Um dos momentos mais difíceis da vida de Felipe Araújo foi a morte de seu irmão, Cristiano Araújo: “Eu sempre costumo dizer que deus me ajudou demais, me deu muita força em um momento difícil. Eu  virei homem do dia pra noite… Meu pai costuma dizer que eu sou a força lá de casa. Eu sempre trabalhei com música e eu acho que isso também ajudou muito a gente  poder continuar e seguir essa vida de estrada e de show”, contou. “Eu sempre pensei em orgulhar o Cristiano onde quer que ele esteja. Ele sempre foi meu maior incentivador. Muita coisa aconteceu”, finalizou.

Deixe seu comentário