Alexandre Correa toma decisão inesperada sobre filho com Ana Hickmann e equipe jurídica se pronuncia

Por: Nicole Defillo | 01/12/23 - 18:18

Alexandre Correa decidiu não mais buscar a guarda compartilhada de seu filho, Alezinho, fruto de seu relacionamento com Ana Hickmann. Em vez disso, o empresário expressou o desejo de regularizar as visitas ao menino de nove anos, com quem não tem tido contato desde 11 de novembro, quando deixou a residência da família em Itu (SP), após ser acusado de agredir a esposa. O advogado Enio Martins Murad, responsável pela representação legal de Correa, informou à Quem que seu cliente encerrou a disputa pela guarda do filho nos registros judiciais, e o Notícias da TV corroborou essa decisão.

+ Ana Hickmann revela infância com pai abusivo e expõe agressão física contra a mãe

“Na ação do divórcio, o Alexandre ofereceu e fez questão que a guarda do Alezinho fique com a Ana. O processo de alienação parental só tem um motivo: ver o filho, porque a Ana não está permitindo. Também consta na lei de alienação parental que não se pode expor a figura do pai em público como ela tem feito na televisão”, disse advogado.

A equipe do empresário ainda completou: “Se a Ana tivesse bom senso, ela permitiria que o Alezinho visitasse o pai, mas ela não está deixando. Então não tem outra saída a não ser entrar com uma ação de alienação parental e pedir a visitação do filho”.

Foto: Reprodução

Ana Hickmann conseguiu se separar pela Lei Maria da Penha?

Ana Hickmann não conseguiu se separar pela Lei Maria da Penha. O pedido de divórcio feito pela apresentadora com base na Lei Maria da Penha foi negado pela Justiça. A decisão foi tomada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Belo Horizonte, que não acatou o pedido de divórcio com essa fundamentação.

A apresentadora denunciou seu marido, Alexandre Correa, por violência doméstica, após alegar ter sido agredida durante uma discussão em sua residência. A recusa do pedido com base na Lei Maria da Penha levanta questões sobre o trâmite legal em casos de violência doméstica e divórcio no Brasil.