Jô fala sobre novo momento em 2021: “Ainda posso fazer muita coisa”

Atacante ainda destacou apoio ao técnico Vagner Mancini

Por: Caio César | 20 abril - 23:19

Entre os principais alvos de críticas da torcida do Corinthians, a fase de Jô não segue entre as melhores de sua carreira, inclusive, com apelo popular pela titularidade de Cauê, atacante promovido da base no fim da temporada passada. Contudo, em entrevista exclusiva ao Globo Esporte, o camisa 77 falou sobre as comparações sobre a sua passagem em 2017, ressaltando estar bem fisicamente, porém considerou natural a perda de velocidade.

“Fico tranquilo com as críticas. As comparações são de ordem natural. Não me incomodo. Fisicamente, estou muito bem. Não podemos expor, mas os números dentro do clube são bons, a forma física é a ideal. Pelo ano que fiz em 2017, a cobrança vai existir, mas já se passaram quatro anos, ninguém no mundo vai ser igual. Mas eu ainda sou o Jô e posso fazer o melhor dentro da minha capacidade. Por isso, venho trabalhando, me esforçando, os resultados vêm. A gente pede paciência pela cobrança, mas sempre vai existir. Eu faço meu melhor. Os resultados estão aí, a evolução da equipe” – analisou.

“Você vai perdendo velocidade, mobilidade, já não é mais a mesma, é natural. Acabamos tentando fazer outras coisas, tentando se reinventar dentro do que o corpo permite. Se a velocidade não é mais a mesma, você tem que tentar fazer algo diferente: controle de bola melhor, deslocamento mais preciso na hora de fazer o gol, tiro curto e não mais longo. Vamos nos readaptando. A experiência também conta. Já não precisa correr 13km por jogo, se correr entre 8 ou 9km para o atacante é normal. Consegue entregar resultados que treinador pede. Vamos nos adaptando. É normal receber críticas. Fiz bons anos em 2017 e 13 (no Atlético-MG), espetaculares. Não tem como ser aquele Jô, mas o Jô de 2021 ainda pode fazer muita coisa” – concluiu.

Jô fala sobre novo momento em 2021

Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Na sequência, o atleta respondeu sobre a continuidade de Vagner Mancini, que vem sendo questionado pelo desempenho abaixo da equipe desde o início da temporada. Segundo Jô, a principal qualidade do comandante é a sinceridade com o elenco, reforçando o desejo de melhorar os resultados para garantir a permanência do técnico no comando do Alvinegro.

“O que eu falo do Mancini é a clareza. Independentemente do jogador, ele tem a mesma abertura, de conversar. Acho isso bacana demais para um técnico, chegar e trocar ideia, avisar o que está pensando. Explicar quando te tira ou te coloca. Não é obrigação dele, nenhum técnico precisa ficar dando satisfação para o jogador. Mas o caráter dele, a maneira de ele trabalhar te deixa tranquilo nessa questão. Aceitei numa boa. Ele fala que sou importante, que procura ser transparente. Isso faz a gente se sentir bem dentro do ambiente” – relatou.

“Estamos fazendo o melhor para poder mantê-lo, porque a gente sabe que são os resultados que vão dar sequência a ele” – destacou.

LEIA MAIS

Na Vila Belmiro, Santos é surpreendido pelo Barcelona-EQU e perde na estreia da Libertadores da América

Rodrigo Caetano descarta rótulo de ‘clube comprador’ ao Atlético-MG e fala sobre saída de atletas

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você