Clubes europeus anunciam Superliga em oposição ao modelo da Champions League; entenda

Anúncio foi feito neste domingo por 12 gigantes da Europa; Uefa ameaça punir clubes e jogadores

Por: Thaynara Bernardo da Silva | 19 abril - 07:02

Neste domingo (18), doze grandes clubes da Europa anunciaram a criação de uma Superliga, são eles: Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham, da Inglaterra. Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid, da Espanha; além de Inter de Milão, Juventus e Milan, da Itália. A saber, outros três participantes são aguardados para a temporada inaugural, que segundo comunicado, começará “assim que for possível”. – Bayern, B. Dortmund e PSG recusaram participar da nova competição.

No entanto, quem não gostou nada da ideia foi a Uefa. A entidade ameaçou punir severamente os clubes e jogadores envolvidos: “Todos os clubes e jogadores que participarem da Superliga podem ser banidos de todas as competições da Uefa e Fifa, europeias ou internacionais”, disse a Uefa. A informação foi publicada pelo jornal The New York Times.

Foto: AFP

A criação de uma nova competição é um duro golpe na Uefa. Isso porque, a entidade pretendia anunciar nesta segunda-feira (19) algumas novidades da próxima edição da Champions League. Vale lembrar que, em dezembro, o jornal espanhol Marca revelou que a Liga dos Campeões poderia mudar de formato em 2024. O projeto seria uma resposta à Superliga, além de uma forma de dar aos clubes mais jogos e receita.

A Uefa não descarta entrar na Justiça contra os clubes: “O futebol é baseado em competições abertas e mérito esportivo; não pode ser de outra maneira”, diz a nota da entidade que também ameaçou punir os atletas dos clubes de não participaram de competições internacionais com suas respectivas seleções.

Como será a Superliga?

Está previsto a participação de 20 clubes, sendo os 15 fundadores e um mecanismo de classificação para os outros cinco. A princípio, a Superliga preservaria o calendário tradicional de jogos domésticos, e os jogos seriamos realizados no meio de semana. Dois grupos de 10 começando em um mês de agosto, jogando dentro e fora de casa.

Dessa forma, os três primeiros de cada grupo se classificariam automaticamente para as quartas de final, enquanto as equipes que terminarem em quarto e quinto de cada grupo jogarão um mata-mata pelas vagas restantes. A final, marcada para o fim de maio, será disputada em jogo único em campo neutro. É possível que em breve uma liga feminina seja lançada

Segundo o comunicado, a nova competição “proporcionará um crescimento econômico significantemente maior e apoio ao futebol europeu por meio de um compromisso de longo prazo com pagamentos de solidariedade ilimitados que crescerão de acordo com as receitas da Superliga”.

Ainda, de acordo com a nota “estes pagamentos de solidariedade serão substancialmente mais elevados do que os gerados pela atual competição europeia (Champions League) e deverão ser superiores a 10 bilhões de euros durante o período de compromisso inicial dos clubes”.

Além disso, está prevista uma construção de uma base financeira sustentável para os clubes fundados, que receberão 3,5 bilhões de euros para compensar o impacto da pandemia do novo coronavírus e apoias seus planos de investimento em infraestrutura.

“Vamos ajudar o futebol em todos os níveis e levá-lo ao seu devido lugar no mundo. O futebol é o único esporte global no mundo com mais de quatro bilhões de fãs e nossa responsabilidade como grandes clubes é responder seus desejos”, afirmou Fiorentino Pérez, presidente do Real Madrid – e da Superliga.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Com um a menos, reservas do Santos batem Inter de Limeira na Vila Belmiro

Com reservas, Corinthians volta a vencer no Paulistão

São Paulo desembarca no Peru e inicia preparação para estreia na Libertadores

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você