Abel Ferreira lamenta derrota do Palmeiras na Recopa: “Jogar no Allianz faria muita diferença”

Em coletiva, treinador atribui a culpa dos últimos fracassos a si mesmo e disse estar orgulhoso de sua equipe

Por: Thaynara Bernardo da Silva | 15 abril - 09:16

Após mais uma derrota nos pênaltis, em menos de uma semana, o técnico Abel Ferreira lamentou que a partida contra o Defensa y Justicia, pela Recopa, não pôde ser realizada no estádio do Palmeiras, o Allianz Parque. “Infelizmente, por circunstâncias alheias à final, o jogo teve que ser realizado aqui (Brasília), eu preferia que fosse na nossa casa, no Allianz”, afirmou o português, em entrevista coletiva.

A saber, o Allianz não pôde receber o duelo de volta da Recopa porque a Conmebol exigia uma confirmação do local em até 15 dias antes do jogo. Na época, havia incertezas sobre a realização de jogos de futebol no estado de São Paulo, devido às medidas de combate ao novo coronavírus impostas pelo governador, João Doria.

Abel Ferreira em Palmeiras x Defensa y Justicia

Foto: Cesar Greco/ Palmeiras

“No primeiro tempo, criamos mais do que o adversário e poderíamos ter feito mais gols. Tentamos da maneira que sabemos, em um gramado que não estava em boas condições, cheio de buracos. Este detalhe de jogar neste campo (Mané Garrincha), e não no nosso, faz muita diferença”, lamentou Abel.

O treinador do Verdão também fez questão de valorizar a equipe do Defensa e analisou a nova derrota em menos de uma semana, atribuindo a culpa do fracasso a si mesmo: “Do outro lado, havia uma equipe de muita qualidade individual e coletiva, muito intensa, uma equipe argentina. Como no futebol do Brasil sempre queremos encontrar culpados, o culpado de tudo sou eu”, concluiu o treinador.

Por fim, Abel comentou sobre a dificuldade de reerguer o ânimo do Palmeiras para o clássico com o São Paulo, marcado para esta sexta (16), às 22h, pelo Campeonato Paulista.

“Vai ser um desafio, não sei como vamos reagir. Temos que, neste momento, aguentar, sofrer e caminhar em frente. Ganhamos a Libertadores e Copa do Brasil, porém perdemos o Mundial, Supercopa e Recopa. Vou dizer que tenho um orgulho tremendo desta equipe, sabemos que este ano vai ser muito duro, por várias circunstâncias, mas é aguentar, suportar e seguir em frente”, finalizou o português.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Após vexame na Libertadores, Grêmio não descarta demissão de Renato Gaúcho

UEFA define as semifinais da Champions League; confira

Semifinalistas da Europa League serão definidos nesta quinta; confira os jogos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você